Retrospectiva 2016

Apresentação

Na astrologia, o ano de 2016 é considerado um ano universal 9. Isso porque é este o resultado que se obtém quando somados os algarismos que compõem o número 2016. O ano 9, nas teorias dos astros, é um ano de mudanças, finalizações. Verdade ou não, a análise se encaixa na SP Escola de Teatro: despedimo-nos de nossa sede na rua Marquês de Itu para voltar à nossa antiga casa, agora renovada, no Brás.

Mas a casa que nos recebeu nos últimos tempos foi palco de momentos marcantes deste ano que termina. Foi a querida “garagem da Marquês” que recebeu o competente trio de artistas Grace Passô, Fernanda D’Umbra e Alessandra Negrini para o bate-papo que abriu o ano na Escola. Como ocorre semestralmente, no mesmo dia os aprendizes ingressantes participaram dos rituais do pão e da pintura de azulejos, uma divertida forma de dar boas-vindas à Instituição.

No primeiro semestre de 2016, os aprendizes foram divididos nos Módulos Azul e Verde, tendo a escritora nigeriana Chimamanda Adichie como operadora de seus experimentos. A partir do álbum “A Mulher do Fim do Mundo”, de Elza Soares, eles desenvolveram criações influenciadas pelos artistas-pedagogos Stef Smith e Angélica Liddell. O feminismo falou alto nos ambientes de nossas sedes.

Durante o ano, a Escola deu continuidade a seus oito Cursos Regulares: Atuação, Cenografia e Figurino, Direção, Dramaturgia, Humor, Iluminação, Sonoplastia e Técnicas de Palco.

No dia 30 de julho, a garagem, novamente, foi o lugar de boas-vinda aos aprendizes ingressantes. A abertura do segundo semestre ficou por conta da atriz Maria Fernanda Cândido, que falou sobre sua carreira e sobre a Casa do Saber, projeto do qual é sócia e que promove o acesso à cultura.

Nesta etapa do ano, os aprendizes integraram os Módulos Amarelo e Vermelho, tendo como operador o psicanalista Jorge Forbes, trabalhando o conceito de “Philia”. Partindo de relatos de amizade, os aprendizes do Amarelo produziram trabalhos com base no artista-pedagogo Tim Burton. Os integrantes do Vermelho tiveram liberdade para fazer suas próprias escolhas.

Estas foram só algumas das atividades da SP Escola de Teatro em 2016, um ano intenso para a Instituição. Veja, nos próximos textos, outras ações que ocorreram pelas salas e corredores de nossas sedes.