Retrospectiva 2015

SP Transvisão III

Uma das primeiras atividades da SP Escola de Teatro em 2015 foi em torno de uma das ideias mais louvadas pela Instituição desde seu início: o respeito e o incentivo à diversidade. A terceira edição do SP Transvisão — Semana da Visibilidade de Travestis, Mulheres Transexuais e Homens Trans ocorreu entre 26 e 30 de janeiro, passando pelo dia 29, o Dia Nacional da Visibilidade Trans.

Com programação gratuita nas sedes Roosevelt e Marquês da Escola e no Centro de Referência e Defesa da Diversidade, o evento fomentou o debate acerca da diversidade sexual por meio de mesas de discussão e atividades artísticas. Defensores públicos também estiveram à disposição daqueles que precisaram de orientações sobre a retificação de documentos.

Em 2015, o tema do evento foi “Não me identifico por meu nome de nascimento e também sou cidadã/cidadão como você. Pela aprovação da Lei de Identidade de Gênero já!”.

O SP Transvisão teve os “Cine Debates”, que eram conversas após a exibição de longas. Foram exibidos “Meninos não choram” (Kimberly Pierce, 1999), “Cuba Libre” (Evaldo Mocarzel, 2011) e “Meu amigo Cláudia” (Dácio Pinheiro, 2012).

Três mesas de discussão abriram espaço para os temas “Homens Trans — Da invisibilidade à luta”, “As identidades Ts e as religiões” e “Legalidade do nome social, da Identidade de Gênero e da Retificação de Documentos”.

Durante sua programação, o SP Transvisão teve participações de nomes como a advogada Marcia Rocha, o ator Léo Moreira Sá, a umbandista Brenda Oliver e a antropóloga Regina Facchini, entre outros.