Projeto Sem Palavras

Em novembro, o coletivo performático OuUnPo (Ouvroir d'Univers Potentiels), formado por artistas, curadores e pesquisadores europeus, encerrou o ciclo de pesquisa denominado "Catastrophe & Heritage" (Catástrofe e Herança), que teve início em 2012 e já passou por Suécia, Itália, Japão, Grécia e Líbano.

O local escolhido pelo grupo para encerrar a pesquisa foi a cidade de São Paulo. Como a SP Escola de Teatro tem interesse tanto pela pesquisa na área de performance quanto por travar contatos artísticos internacionais, claro, abriu as portas para o evento, que também ocupou instituições como a Pinacoteca, o MAM, o CCSP e o Goethe-Institut, com palestras, vídeos, workshops e performances.

Batizado de "Sem palavras" e com curadoria de Per Hüttner e Marcio Aquiles, o evento na SP Escola de Teatro aconteceu no dia 16 de novembro, com entrada gratuita e aberta ao público. Foram selecionados três projetos individuais ou coletivos que colocassem sob perspectiva um olhar para formas de comunicação além da linguagem.

Eles deveriam, ainda, valorizar uma compreensão mais profunda sobre duas questões: como podemos aprender mais sobre a comunicação não verbal e como ela funciona? Por que continuamos fascinados tanto pelos aspectos da vida que nos aterrorizam, assim como por aqueles que nos trazem alegria – a incapacidade de linguagem para expressar ambos tem um papel nisso tudo?

Os três projetos selecionados foram: "Reflexos – Ensaio sobre o vazio", "PISC in À", e "Casulo". Após manter contato e desenvolver suas criações com os artistas do OuUnPo, na semana anterior ao encerramento, esses trabalhos foram apresentados na Escola, juntamente com as performances dos artistas Per Huttner (Suécia), Jacopo Miliani (Itália), Samon Takahashi (França), Pedro Penin (Portugal), Gustavo Sol (Brasil), entre outros.

A principal proposta do evento foi promover um diálogo entre os profissionais de teatro e performance de diferentes culturas, para, com isso, investigar a comunicação não verbal.

Projeto sem Palavras