13º Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade

 

Os primeiros rostos que quem chega à SP Escola de Teatro vê, assim como as primeiras vozes que quem telefone escuta pertencem a algumas das pessoas mais simpáticas e queridas da Instituição: as recepcionistas Andréa Zanelato, Brenda Oliver, Kimberly Luciana e Renata Peron.

Em uma atitude pioneira, desde sua fundação, a SP Escola de Teatro reserva os cargos na recepção a elas, as transexuais, comprovando com ações sua vocação para a diversidade, o que também ficou evidente em janeiro, com a realização do SP TransVisão – Semana da Visibilidade Trans. Durante cinco dias, a Sede Roosevelt sediou uma série de debates e atividades envolvendo os mais diversos assuntos ligados ao universo trans. O cartunista Laerte foi um dos participantes especiais desse encontro sem precedentes.

Por conta de sua atuação nessa esfera, a Instituição ganhou, neste ano, um reconhecimento mais que especial: a Escola foi contemplada com o 13º Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade, outorgado pela Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo (APOGLBT), pelo “exemplar protagonismo para a promoção dos direitos humanos da população de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais”.

“Como vice-presidente do Conselho de Administração da Escola, fico muito feliz com este reconhecimento. Acreditar em sonhos é o que conduz a minha vida, e este eu tenho o maior orgulho, pois acompanhei desde a gestação. Um projeto lindo e que tem realizado muitos outros sonhos”, disse Rachel Rocha, que também é membro da Comissão da Diversidade Sexual e Combate à Homofobia, da Ordem dos Advogados do Brasil Seção de São Paulo (OAB/SP).

A cerimônia de entrega do prêmio aconteceu no dia 3 de maio, em um pomposo evento no Theatro São Pedro, em São Paulo. Outra entidade ganhadora do troféu Joinha foi a Cia. de Teatro Os Satyros, fundada por Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez. “Estou duplamente feliz. Pela SP Escola de Teatro e pela Cia. Os Satyros. Uma honra estar presente nessas duas Instituições, que eu amo tanto”, comemorou Ivam.

Na hora de subir ao palco para receber o troféu, quem representou a Instituição foi Rachel Rocha, junta de três outras personagens simbólicas nessa história: Kimberly Luciana, Andréa Zanelato e Flávia Araújo – que entrou na Escola como recepcionista e hoje trabalha como auxiliar da Biblioteca.

O Prêmio reconheceu os esforços de instituições e profissionais de 17 categorias distintas. Jean Wyllys, Dráuzio Varella, Leonardo Sakamoto e Daniela Mercury foram alguns dos outros premiados.

RETROSPECTIVA 2013
PRÊMIO ACESSIBILIDADE 2013
ENTRAR NO SITE