Extensão Cultural

 

Uma outra área da SP Escola de Teatro compreende os cursos de Extensão Cultural, gratuitos e implantados sob os mesmos preceitos pedagógicos e artísticos dos Cursos Regulares. Além da otimização destes, os cursos de Extensão firmam uma ponte direta com criadores e pensadores de outras esferas. Mobilizam a população e os artistas amadores e profissionais interessados em aperfeiçoar ou ampliar seus conhecimentos teatrais.

Neste ano de 2013, foram oferecidos 30 cursos ao público, todos gratuitos, com carga de 64 horas e orientados por profissionais de vasta experiência e reconhecidos em suas áreas de atuação. Os temas abraçavam um extenso campo do saber artístico e cultural: de danças urbanas a dublagem; de interpretação a multimídia interativa; de teatro de sombras a produção cultural; de viewpoints a cenografia.

Acompanhando a tendência da Escola, foram pensados e promovidos vários cursos de Extensão Cultural voltados à acessibilidade, como “Dança sem fronteiras”, “Interpretação de espetáculos em LIBRAS” e “Introdução à audiodescrição para teatro”.

Um dos cursos que mais chamaram a atenção durante o ano foi “Processos criativos de encenadores brasileiros”. A razão é óbvia: nele, estiveram reunidos 18 dos mais renomados encenadores brasileiros, que discutiram seus processos criativos, valendo-se de depoimentos pessoais, exemplificação com vídeos de espetáculos e debates com a plateia.

Sob orientação de Rodolfo García Vázquez, os convidados foram: José Fernando de Azevedo, Fernando Neves, Márcio Meirelles, Hugo Possolo, Nelson Baskerville, Cibele Forjaz, Claudia Schapira, Carla Candiotto, Alexandra Golik, Sergio de Carvalho, Marcio Abreu, Marco Antônio Rodrigues, Jezebel de Carli, Zé Henrique de Paula, Felipe Hirsch, Roberto Alvim e Johana Albuquerque.

“O teatro brasileiro tem passado por um rico processo de transformação nas últimas duas décadas. A proliferação de grupos teatrais com estéticas diferenciadas e a continuidade de programas públicos de incentivo à produção teatral foram fundamentais neste processo, no qual os encenadores vem ocupando um papel fundamental”, observou o coordenador, ressaltando que o curso pretendia “lançar um olhar inédito sobre este momento único do teatro nacional”.

E o setor não se limita a oferecer cursos. Muito pelo contrário.

Além dos cursos presenciais, foram promovidas rodas de conversas, como a realizada em março, sobre cenografia e figurino, durante a programação do evento Palco SP – e cujo conteúdo foi parar na Revista A[L]BERTO #5; mesas de discussão, como a de discotecagem, em abril, que reuniu os DJ’s Eugênio Lima, Claudia Assef, Luaa Gabanini e KLJay; palestras, como a que trouxe o diretor dinamarquês Morten Nielsen;  bate-papos online semanais no portal da Escola; e parceria na realização do colóquio “O que é pedagogia do teatro?”.

O ano nem chegou ao fim e a Extensão Cultural já está se preparando para o início de 11 cursos no mês de janeiro, englobando áreas como teatro musical, dança, palhaço, performance, mágica, animação, história do teatro e ópera. As inscrições para eles foram abertas em novembro.

RETROSPECTIVA 2013
PRÊMIO ACESSIBILIDADE 2013
ENTRAR NO SITE