SP ESCOLA DE TEATRO
Español
English

programa kairós

 
Aumentar Fonte
Diminuir Fonte
Tamanho da Letra
Publique/Compartilhe
Programa Kairós Edições anteriores Guia intercambistas Formulário de Averiguação de Irregularidades Memória (Trabalho final) Modelo do Relatório Final de Atividades

Programa Kairós 2014

Geral:

2 editais da Bolsa-Oportunidade divulgados
1472 parcelas da bolsa, somando R$ 915.584,00
31 estágios profissionais oficializados
9 formalizações de convênios e parceiras com empresas ligadas às artes do espetáculo
117 oportunidades de trabalho/estágio divulgadas
2.467 ingressos doados, totalizando R$ 71.625,00

 

Bolsa-Oportunidade

 

Durante o ano de 2014 foi pago um total de R$ 915.584,00 para os aprendizes contemplados com a bolsa-oportunidade, sendo R$ 449.084,00 no Edital 01/2014 e R$ 466.500,00 no Edital 02/2014. Ao todo, foram contemplados, recebendo ao menos uma parcela da Bolsa, um total de 210 aprendizes. 107 aprendizes foram contemplados tanto no Edital 01/2014 quanto no Edital 02/2014

 

Atividades de Contrapartida Coordenadas pelo Programa Kairós

 

O benefício da Bolsa-Oportunidade tem se revelado uma ajuda indispensável para gastos com transporte, alimentação e compra de materiais de muitos aprendizes contemplados, constituindo-se como um fator basilar à formação daqueles em vulnerabilidade socioeconômica e imprescindível ao pleno acesso deles aos bens culturais.

 

A partir do diálogo vincado não apenas com os aprendizes, como também com o Departamento Pedagógico, foram projetadas e desenvolvidas as Atividades de Contrapartida da Bolsa-Oportunidade, nas quais cada aprendiz contemplado desenvolveu um trabalho que deveria contribuir com o seu processo de aprendizado. Todas as atividades contaram com a orientação de formadores residentes, convidados e coordenadores dos Cursos Regulares.

 

Segue abaixo a descrição das atividades de contrapartida desenvolvidas no ano de 2014.

 

I. Ação cidadã/ Qual é o seu nome? – O projeto “Qual é o seu nome?” pretendia desenvolver um olhar sensível sobre as diversas histórias de vida de moradores de rua. Tinha como objetivo “trazer à luz” vozes e histórias ocultas e esquecidas dos sujeitos que vivem em tais condições. O desafio era o de saber quem são e quem foram estes indivíduos, hoje “invisíveis” à sociedade. 

 

II. Além do Gênero - Com o objetivo de abrir um espaço regular para o debate sobre a diversidade, este projeto pretendeu desenvolver diversos tipos de atividades, tais como: espetáculos, exibição de filmes, shows, debates, entre outros. Esta atividade contou com a participação de transgêneros que elencaram junto ao orientador da atividade e os aprendizes contemplados os pontos a serem trabalhados. As apresentações desta atividade foram abertas a toda comunidade interessada.

 

III. Casulo – O projeto visava a imersão dos aprendizes em processos de criação e de pesquisa de companhias teatrais e de grupos de produções de caráter independente. Tinha como objetivo potencializar o aprendizado dos aprendizes lhes fornecendo experiências práticas em diversas fases da montagem de espetáculos e de processos artísticos. Em 2014 foram formalizadas parcerias Casulo com as seguintes cia de teatro, empresas, grupos independentes e artistas: Companhia do Latão, MidiaDub, Marcio Araújo, Gelatina Cultural Produções Artísticas, Paideia, Galpão Folias, Velha Companhia, Lucia Koch e Espaço Cenográfico.

 

IV. Chá e Cadernos – O Chá e Cadernos pretendia o tráfico de conhecimento e de aprendizado do “aparentemente proibido”. O espaço promoveu a troca de conhecimento fora de um âmbito hierárquico, um terreno informal de reflexão que almejava a descoberta de novos caminhos na arte. Os aprendizes inscritos neste projeto auxiliaram na preparação dos encontros de “contrabando” cultural, mensais. Os chás eram abertos ao público em geral.

 

V. Escambo Literário - Esta atividade pretendia a ampliação do projeto de câmbio de livros, nas instalações da SP Escola de Teatro e no entorno das sedes da Escola, onde aprendizes, colaboradores e comunidade poderiam efetuar doação, aquisição e trocas de livros.

 

VI. Investigação sobre a Grécia Clássica - Projeto que envolvia seminários, palestras, debates e ensaios a partir do texto Antígona, de Sófocles, que resultou em um experimento cênico que foi apresentado para os outros aprendizes da Escola.

 

VII. Kabaridades - Projeto destinado, preferencialmente, para aprendizes do Curso Regular de Humor, mas contemplou também aprendizes de outras áreas. Tinha como objetivo ser um espaço de estudo, demonstração e aperfeiçoamento de trabalhos cômicos.

 

VIII. Leitura na Praça - Esta atividade constituiu-se como um projeto de incentivo à leitura realizado nas instalações da SP Escola de Teatro e em praças da cidade de São Paulo, onde aprendizes, colaboradores e comunidade exerciam o incentivo à prática da leitura, à troca e à doação de livros.

 

IX. Mesa de estudo – Atividade que tinha como intuito o estudo de temas relevantes para as áreas de formação dos Cursos Regulares. Essa atividade foi supervisionada e coordenada por um formador/coordenador dos Cursos Regulares, que elencou, junto aos aprendizes, os temas que foram trabalhados.

 

X. Monitoria Biblioteca – Esta atividade constituiu-se como um projeto de incentivo à leitura e participação na dinâmica interna da Biblioteca da SP Escola de Teatro. Os aprendizes selecionados tinham como função a análise do acervo e a listagem de termos técnicos para construção de vocabulário controlado, além de auxiliar na pesquisa e na divulgação dos títulos presentes no acervo. 

 

XI. Monitoria Cursos Regulares – Atividade em que o bolsista tinha a oportunidade de aprofundar sua experiência no processo de aprendizagem. Constituíam-se objetivos da monitoria: a) possibilitar o aprofundamento nos conhecimentos teórico-práticos; b) contribuir com a qualidade do aprendizado ao apoiar formadores e aprendizes no desenvolvimento do processo de ensino e aprendizagem; c) incentivar a formação do aprendiz para o exercício de atividades concernentes ao processo de ensino e aprendizagem.

 

XII. Monitoria de Projetos – A monitoria abrangia ações paralelas aos Cursos Regulares e de Extensão Cultural, como, por exemplo, residências artísticas e intercâmbios. Os aprendizes inscritos nesta atividade tinham como responsabilidade: registrar memória das atividades desenvolvidas pela Escola, acompanhar projetos diversos, produzir relatórios periódicos, acompanhar eventos, etc. 

 

XIII. Monitoria Operacional – Atividade direcionada aos aprendizes dos Cursos Regulares de Cenografia e Figurino, Iluminação, Sonoplastia e Técnicas de Palco. Os aprendizes inscritos neste projeto fizeram monitoria na produção das atividades desenvolvidas e acolhidas pela Escola, tais como: exposições, residências artísticas, mostras e lançamentos. Tinham como função a manutenção e organização de materiais e equipamentos, assessorar na montagem e desmontagem de cenários, na utilização de equipamentos e na operação de luz e som.

 

XIV. Monitoria Teatropédia – Lançada em 21 de março de 2010, a partir de uma iniciativa da SP Escola de Teatro, a Teatropédia tem por objetivo mapear o teatro brasileiro e criar o maior e mais completo acervo de verbetes sobre profissionais de teatro de todo o Brasil. Atualmente, a Teatropédia conta com 7.000 verbetes, que compreendem as seguintes áreas: Artistas (Aderecistas, Atores, Atrizes, Bailarinos, Cenógrafos, Compositores, Coreógrafos, Críticos, Diretores, Dramaturgos, Figurinistas, Iluminadores, Músicos, Pesquisadores, Produtores, Sonoplastas, Tradutores, Técnicos de Palco, entre outros), Grupos, Fotógrafos, Instituições, Circo, Espetáculos, Eventos e Espaços teatrais. A monitoria na Teatropédia implicou em pesquisas e redação de verbetes, ou seja, currículo de artistas com o máximo de informação sobre seus trabalhos.

 

XV. Orfeu – Projeto destinado a suprir a inexistência de um banco de sons brasileiro, que contemple as particularidades das nossas paisagens sonoras. Previa a criação de um banco de som com músicos, efeitos e sons que foram captados e editados pelos aprendizes do Curso Regular de Sonoplastia. Tinha como objetivos capacitar os aprendizes de Sonoplastia nos expedientes técnicos de captação sonora e disponibilizar material sonoro gratuitamente no Portal da Escola.

 

XVI. Palavra em Cena – A cada 15 dias, o portal da SP Escola de Teatro levou ao ar uma série de podcasts, intitulada Palavra em cena. Nela, o diretor e dramaturgo Maurício Paroni de Castro convida o ouvinte a uma viagem histórica, rumo a palavras, sons e conceitos cênicos do passado, ligados diretamente com visões prosaicas do presente.

Esta atividade pretendia que o bolsista auxiliasse o autor do podcast na pesquisa, redação e projetação do Palavra e Cena.

 

XVII. Processo de criação – Atividade pela qual a teoria se converte em experiência, ou, simplesmente, ação com conhecimento. Neste projeto, o bolsista desenvolveu, junto a um formador/coordenador/artista convidado, um processo de criação artística na sua área de formação. 

 

XVIII. Radio Drama – Estudo histórico sobre a radionovela brasileira a partir da pesquisa, recuperação, resgate de textos e registros radiofônicos. Criação de um programa de rádio com textos criados, interpretados e gravados pelos aprendizes de Atuação, Direção, Dramaturgia, Humor e Sonoplastia.   No Edital 02/2014 esta atividade foi renomeada para RadioArte e contou com gravações no estúdio da SP Escola de Teatro. Os textos foram obras da dramaturgia e literatura universal, adaptados e reelaborados.

 

XIX. São Paulo com Arte – Atividade que tinha como intuito a realização de intervenções artísticas urbanas. Pretendia realizar ações detalhadas, de impacto visual, sonoro e cênico, que interferissem no cotidiano de um lugar e interrompessem o fluxo da padronização e do estigma, propondo outras formas de olhar e pensar os espaços urbanos e seus habitantes.

 

XX. SP Dramaturgias – Trata-se da viabilização de um espaço voltado para a leitura de textos dramáticos inéditos. As leituras foram realizadas por aprendizes e colaboradores da Escola. A seleção dos textos lidos se pautou em critérios artísticos (textos inéditos, que dialoguem com questões da contemporaneidade, quer na forma, quer no conteúdo) e pedagógicos (a partir de demandas e questões oriundas do trabalho desenvolvido entre formadores e aprendizes na Escola). Os aprendizes inscritos neste projeto colaboraram na leitura e seleção dos textos, escalação das fichas técnicas, na organização, acompanhamento dos ensaios e apresentações, participação nas leituras dentro das suas respectivas áreas de atuação e divulgação da atividade



Ação

Período

Instituição Parceira e/ou Evento

Descrição

Cabo Verde I

13/02 a 18/06

Mindelact

Vinda de um aprendiz cabo-verdiano

Cabo Verde II

26/07 a 20/12

Mindelact

Vinda de um aprendiz cabo-verdiano

Cabo Verde III

26/07 a 20/12

Mindelact

Ida de um aprendiz Escola a Cabo Verde

Coletivo OuUnPo (Ouvroir d’Univers Potentiels)

16/11

“Sem Palavras”

Apresentação do Coletivo OuUnPo na SP Escola de Teatro

Colômbia

07/04 a 12/04

Congresso Ispa (International Society for the Performing Arts)

Ida de dois representantes Escola ao ISPA

Moçambique

18/01 a 20/12

Não se aplica

Vinda de uma aprendiz

Polônia I

12/03/2014 a 18/03/2014

Wake Up – Call for Culture

Ida de dois representantes da SP Escola de Teatro

Polônia II

02/10 a 02/12

Teatr im. Aleksandra Fredry w Gnieznie

Ida de dois aprendizes SPET a Polônia

Portugal

18/01 a 11/06

Não se aplica

Vinda de um aprendiz

Suécia I

20/02/2014 a 08/03/2014

SADA

Vinda de quatro representantes da Teaterhögskolan Stockholm Academy of Dramatic Arts

Suécia II

08/03/2014 a 17/03/2014

SADA

Vinda da delegação de cinema da Teaterhögskolan Stockholm Academy of Dramatic Arts

Suécia III

08/03 a 31/05

SADA

Ida de duas aprendizes SPET à SADA

Suécia IV

09/03 a 01/06

SADA

Vinda de dois aprendizes da SADA

Suécia V

22/04 a 18/05

SADA

Ida de quatro representantes SPET à Teaterhögskolan Stockholm Academy of Dramatic Arts

Uruguai

18/01 a 11/06

Não se aplica

Vinda de uma aprendiz

 


Pesquisas

 

Pesquisa 06 – Avaliação 360º Graus – Aprendizes (b)

 

Questionário desenvolvido para avaliar a SP Escola de teatro como um todo, em suas múltiplas dimensões de ação. A pesquisa se propôs a compreender a visão que os aprendizes possuem em relação às múltiplas dimensões da Escola, por meio de uma avaliação delas (infraestrutura, departamentos, sistema pedagógico etc.). O relatório final de apresentação dos dados colhidos nessa pesquisa foi apresentado em julho.

 

Pesquisa de impacto social – Rua Marquês de Itu, 275

 

Em maio de 2014, deu-se início à recolha de dados para a pesquisa de impacto social. Essa pesquisa buscará aferir qual será o impacto da mudança da Sede Brás para a Rua Marquês de Itu, 275. Nessa fase inicial foram recolhidos dados acerca dos estabelecimentos comerciais localizados no entorno da futura sede e foi feito também um registro fotográfico da área. Pretende-se fazer um acompanhamento de longa duração da área, de modo que seja possível detectar possíveis alterações no âmbito social que ocorram em decorrência da mudança de sede.


Endereço e E-mails
SP Escola de Teatro
Centro de Formação das Artes do Palco
Sede Brás 
Avenida Rangel Pestana, 2401, Brás
03001-000 • São Paulo - SP
Tel: (11) 3121-3200
Sede Roosevelt 
Praça Roosevelt, 210 • Centro
01303-020 • São Paulo | SP
Tel: 11 3775.8600
info@spescoladeteatro.org.br
www.spescoladeteatro.org.br
Governo do Estado de São Paulo - Secretaria da Cultura
Licença Creative Commons Este trabalho foi licenciado com uma Licença | Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada | .
O site da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco está sob licença Creative Commons. A cópia e a reprodução de seu conteúdo são autorizadas para uso não-comercial, desde que citado o devido crédito ao site, aos autores e fotográfos. Não estão incluídas nessa licença obras de terceiros.
Para reprodução com outros fins, entre em contato com a Escola.
Criação de Sites Sorocaba Qube Design