INFORMAÇÕES SOBRE A MATRÍCULA E
LISTA DE SUPLENTES
HOME
Atuação Cenografia e Figurino Direção Dramaturgia Humor Iluminação Sonoplastia Técnicas de Palco
 

ATUAÇÃO

Ana Dulce Dutra Pacheco Silva

Tenho medo de: Frustração.
Não vivo sem: Família e amigos.
Estar na SP Escola de Teatro, para mim é: Me reciclar. Já passei por algumas linguagens, companhia, vontades. Chegou a hora de encarar o teatro por outro viés, pegar minha experiência e mesclar com um novo ambiente.
Teatro é, para mim: Oxigênio.
O que mais gosto em mim é: Meu bom humor.
Meu papel no mundo é: Vou escrevendo aos poucos. Colocando uma cor aqui, outra ali. Não sinto necessidade de acabar de escrever tão cedo. Meu papel é um esboço. É um work in process.
Minha maior ambição é: Fazer da arte renda e cada vez mais prazer.
Como cheguei até aqui: Milhagem + algum $$ + força de vontade³
Itens básicos para um kit de sobrevivência em uma ilha deserta: Fósforo, cobertor, facão e um manual básico de como fazer um barquinho de madeira com folhas de coqueiro.
Roberto Carlos é a trilha sonora da minha vida.
Kate Winslet é alguém que admiro muito.
Se o mundo acabasse amanhã, eu tomaria um banho de mar. Esperaria o fim no mar.
Brás, São Paulo, Brasil: Cubas?, MÊO!, Varonil.

Carolina Gimenes Delphim

 

Tenho medo de: Muitas coisas. Fracassar profissionalmente, decepcionar aqueles que amo e perder meus pais são, entre outros, meus maiores medos.
Não vivo sem: Exercer minha vocação: atuar. No teatro me situo no mundo.
Estar na SP Escola de Teatro, para mim é: Uma experiência rica, na qual vou adquirir novos conhecimentos, desenvolver minhas habilidades e senso crítico, expandir minha visão a respeito de minha profissão e conhecer pessoas que têm os mesmos interesses.
Teatro é, para mim: Pessoalmente (sem considerar sua função social), o teatro é onde me situo no mundo, o lugar onde me sinto viva, desafiada e apaixonada.
O que mais gosto em mim é: A dedicação e o comprometimento com as atividades que desempenho e a sensibilidade apurada.
Meu papel no mundo é: Ainda não sei ao certo. Vivo tentando absorver os sentimentos, os conhecimentos e as experiências para, ao digeri-los, construir meu "eu" e minha visão de mundo. Acredito que, com o passar dos anos, terei mais sabedoria para identificar com certeza o meu papel no mundo.
Minha maior ambição é: Ser bem-sucedida profissionalmente: viver envolvida com as atividades que amo, trabalhando com orgulho e tendo retornos positivos.
Como cheguei até aqui: Depois de altos e baixos, escolhas erradas e escolhas acertadas. Estudei durante dois anos no curso livre de teatro da Escola de Artes Dramáticas Jorge Andrade, em Campinas. Por meio desta escola apresentei-me em duas montagens amadoras ("Quem Casa Quer Casa" - Martins Pena e "Com a Pulga Atrás da Orelha" - Georges Feydeau), cursei o primeiro semestre do curso Bacharelado em Artes Cênicas na Universidade Federal de Ouro Preto, em Minas Gerais, e hoje estudo na Escola de Atores Wolf Maya, em São Paulo.
Itens básicos para um kit de sobrevivência em uma ilha deserta: Água potável, alguns itens de comida industrializada (de preferência embalados a vácuo, com a quantidade exorbitante de conservantes que lhes é característica), uma lanterna, um canivete bem afiado, uma manta, um isqueiro, sinalizadores, um livro (um romance, se possível), um maço de cigarros, uma garrafa de vodca.
"Carolina", Chico Buarque, é a trilha sonora da minha vida.
Amedeo Modigliani é alguém que admiro muito.
Se o mundo acabasse amanhã, passaria o tempo restante junto com as pessoas que amo, procurando serenidade.
Brás, São Paulo, Brasil: "Samba do Arnesto".

Ingrid Machado dos Reis

Tenho medo de: Solidão.
Não vivo sem: Amor.
Estar na SP Escola de Teatro, para mim é: Uma nova aventura.
Teatro é, para mim: Uma das melhores coisas que aconteceram na minhas vida.
O que mais gosto em mim é: Sensibilidade e criatividade.
Meu papel no mundo é: Me doar e estar aberta a doações. Contribuir com um estado de espírito mais humano e solidário.
Minha maior ambição é: Viver da arte explorando o mundo e modificando a sociedade.
Como cheguei até aqui: Por uma coisa que dá no meio do peito, que vem de dentro. Uma inquietude.
Itens básicos para um kit de sobrevivência em uma ilha deserta: Um livro de plantas e ervas, bússola, caixa de fósforos longos, corda, canivete, água e garrafa de bebida alcoólica.
"Será", Legião Urbana, é a trilha sonora da minha vida.
Selton Mello é alguém que admiro muito.
Se o mundo acabasse amanhã, convidaria todos pra rua. Pegaria uma cadeira e ficaria olhando o céu e assistindo a desconstrução da cena. Pessoas que amo e que um dia poderia amar.
Brás, São Paulo, Brasil: Cosmopolitano.

José da Motta Lima Filho

Tenho medo de: Solidão.
Não vivo sem: Arte.
Estar na SP Escola de Teatro, para mim é: Necessário.
Teatro é, para mim: Vida.
O que mais gosto em mim é: Integridade.
Meu papel no mundo é: Movimentá-lo.
Minha maior ambição é: Ser humano.
Como cheguei até aqui: Buscando.
Itens básicos para um kit de sobrevivência em uma ilha deserta: Um violão, um livro do Lorca, grão de bico com curry e cheiro verde e uma companhia.
Stravinsky Le Sacre du Printemps é a trilha sonora da minha vida.
Vladimir Maiakóviski é alguém que admiro muito.
Se o mundo acabasse amanhã, eu estaria lá...
Brás, São Paulo, Brasil: Paris.

Mariana Sapienza Bianchi

Tenho medo de: Deixar de me incomodar com o que vejo e não concordo.
Não vivo sem: Amor e sorrisos.
Estar na SP Escola de Teatro, para mim é: A continuação de um caminho.
Teatro é, para mim: Corpo, olho no olho e ser humano.
O que mais gosto em mim é: Perseverança e otimismo.
Meu papel no mundo é: Ainda não descobri.
Minha maior ambição é: Viver em paz.
Como cheguei até aqui: Me deixando levar por algumas das minhas paixões.
Itens básicos para um kit de sobrevivência em uma ilha deserta: Bons livros, boas lembranças.
“Into the Wild” é a trilha sonora da minha vida.
Minha mãe é alguém que admiro muito.
Se o mundo acabasse amanhã, pensaria nas coisas boas que deixei.
Brás, São Paulo, Brasil: Mistura.

Murilo Rocha e Silva

Tenho medo de: Solidão.
Não vivo sem: Minha família.
Estar na SP Escola de Teatro, para mim é:
Uma grande oportunidade de crescer como ator.
Teatro é, para mim: Trabalho e prazer.
O que mais gosto em mim é: Minha vontade.
Meu papel no mundo é: Contribuir pra uma sociedade melhor.
Minha maior ambição é: Me tornar um ator completo.
Como cheguei até aqui: Bem.
Itens básicos para um kit de sobrevivência em uma ilha deserta: Comida, água, música e livros.
“Samba e Amor”, Chico Buarque, é a trilha sonora da minha vida.
Meu pai é alguém que admiro muito.
Se o mundo acabasse amanhã, estaria junto com a minha família.
Brás, São Paulo, Brasil: Bairro Alto, Botucatu, Brasil.

Sofia Vasconcelos de Abreu

Tenho medo de: Parar de tentar me melhorar.
Não vivo sem: Dormir bem.
Estar na SP Escola de Teatro, para mim é: Continuar uma jornada.
Teatro é, para mim: Encontro.
O que mais gosto em mim é: A generosidade.
Meu papel no mundo é: Pensar as relações humanas a junto com os outros. É ser alguém que está disposta a encontrar, conversar e entender pessoas.
Minha maior ambição é: Continuar a batalhar meu espaço como atriz.
Como cheguei até aqui: Através da força dos meus amigos.
Itens básicos para um kit de sobrevivência em uma ilha deserta: Um pedaço de plástico resistente, um facão, um cobertor, rede de pesca.
Caetano Veloso é a trilha sonora da minha vida.
Tom Zé é alguém que admiro muito.
Se o mundo acabasse amanhã, ia querer ter um jantar delicioso com meus pais e meus amigos.
Brás, São Paulo, Brasil: Um trampolim.

Sophia Castellano

Tenho medo de: Não tentar.
Não vivo sem: Os seres humanos.
Estar na SP Escola de Teatro, para mim é: A realização de um projeto da minha carreira de atriz.
Teatro é, para mim: Uma expectativa de vida.
O que mais gosto em mim é: Minha dedicação.
Meu papel no mundo é: Transformá-lo coletivamente.
Minha maior ambição é: Consolidar um grupo profissional de teatro.
Como cheguei até aqui: Através de oficinas de teatro na Amácio Mazzaropi.
Itens básicos para um kit de sobrevivência em uma ilha deserta: Ferramentas, cordas, isqueiros, água, comida e roupas.
A saga do “Senhor dos Anéis” é a trilha sonora da minha vida.
Fernanda Montenegro é alguém que admiro muito.
Se o mundo acabasse amanhã, faria uma festa de despedida com meus amigos.
Brás, São Paulo, Brasil: Brasil.

Steffi Braucks

Tenho medo de: Perder alguém querido.
Não vivo sem: Bons filmes, peças e livros.
Estar na SP Escola de Teatro, para mim é: Uma oportunidade.
Teatro é, para mim: Uma escolha de vida.
O que mais gosto em mim é: Sensibilidade.
Meu papel no mundo é: Contribuir com as minhas formas de expressão.
Minha maior ambição é: Conseguir viver de arte.
Como cheguei até aqui: Com a ajuda de amigos.
Itens básicos para um kit de sobrevivência em uma ilha deserta: Faca, pederneira, cantil, panela.
“Waltz #2”, Elliott Smith, é a trilha sonora da minha vida.
Meu avô é alguém que admiro muito.
Se o mundo acabasse amanhã, ficaria perto de todos os que amo.
Brás, São Paulo, Brasil: SP Escola de Teatro.

Vivian Valente Petri

Tenho medo de: Solidão.
Não vivo sem: Trocas.
Estar na SP Escola de Teatro, para mim é: Uma porta que se abre.
Teatro é, para mim: Magia.
O que mais gosto em mim é: O desejo pela vida.
Meu papel no mundo é: Transformar e ser transformada.
Minha maior ambição é: Liberdade.
Como cheguei até aqui: Pelo caminho, que se faz caminhando.
Itens básicos para um kit de sobrevivência em uma ilha deserta: Amigo, livros, um violão.
“Sonho Impossível” é a trilha sonora da minha vida.
Simone de Beauvoir é alguém que admiro muito.
Se o mundo acabasse amanhã, daria adeus ao meu superego.
Brás, São Paulo, Brasil: Tradição popular.

TOPO
VOLTAR
Desenvolvimento de Sites QubeDesign